A- A A+
FacebookInstagram

HISTÓRIA DA ESSA

A Escola Normal Rural, criada em 1949 como Curso Normal Regional (Lei 291, de 24/11/1948), visando a formação de professores primários para as áreas rurais, concretizou os elevados ideais da educadora Helena Antipoff em consonância com a política de educação rural da época, representada pelos Senhores Milton Soares Campos, Governador do Estado, Dr. Abgar Renault, Secretário de Estado da Educação, e Dr. Sandoval Soares de Azevedo, então Presidente da Sociedade Pestalozzi de Minas Gerais, que prestou efetivo apoio às iniciativas educacionais na Fazenda do Rosário.

 

O Curso Normal Regional, denominado “Sandoval Soares de Azevedo” (Lei nº. 842, de 26/12/1951) em homenagem póstuma ao emérito educador e amigo das obras de Helena Antipoff, passou a denominar-se, mais tarde, “Ginásio Normal Rural Sandoval Soares de Azevedo” (Lei nº. 4.024/61; Decreto nº. 687, de 13/3/1963 e Resolução 32/65 do CEE).

 

Desde sua criação até a data da Lei 5.692/71, data em que, por força desta lei, se tornou uma Escola de 1° Grau, a Escola recebeu, prioritariamente, candidatos da zona rural, com o objetivo de preparar para o magistério rural o elemento do próprio meio. Para instalação definitiva desta escola, o Governo do Estado adquiriu uma propriedade, no município de Ibirité, na localidade denominada “Pantana”, com uma área de 317.284 m2, cujas escrituras foram lavradas em 24/09/1951 e 21/08/1960, no Cartório do 4º Ofício, Belo Horizonte, transcrição sob o número 24.778, folhas 211, Livro 3, registradas no Cartório de Imóveis, em Betim, constituindo, no patrimônio do Estado, o processo n° 529.3.

 

O “Instituto Superior de Educação Rural” (ISER) teve seu projeto elaborado e aprovado em 1.955, sendo Governador do Estado o Dr. Clóvis Salgado e Secretário de Estado da Educação o Dr. Bolívar de Freitas, pelo Decreto nº 4.830, de 12 de dezembro de 1955. Para a implantação da nova instituição, o Estado adquiriu uma gleba de 130.000 m2 e a construção do prédio foi realizada com recursos do Fundo Nacional do Ensino Primário, através do Instituto Nacional de Estudo Pedagógicos (INEP), sendo esta área acrescida com a compra de 34.996 m2, em 1.960.

 

O ISER foi inaugurado ainda em construção no dia 6 de agosto de 1955, por ser esta data, no calendário da Igreja Ortodoxa, a qual pertencia Helena Antipoff, o dia fecundo da transfiguração de Nosso Senhor Jesus Cristo. Pretendia ela que a obra operasse nos professores aqui diplomados, uma verdadeira transfiguração que os levassem a traçar novos rumos em seu trabalho na zona rural. Sob o regime de internato, foram realizados muitos cursos de treinamento de professores, de orientadores e supervisores rurais; por ele passaram professores de várias regiões de Minas e de outros estados, que levaram para suas escolas, além de novos conhecimentos pedagógicos, orientação para incutir nos alunos o amor ao cultivo da terra.

 

Em 25/05/1970, foi promulgada a Lei Estadual nº. 5.446 de 25/05/1970, transformando o ISER em “Fundação Estadual de Educação Rural Helena Antipoff” (FEER). Desde essa data até julho de 1978, funcionou de acordo com a nova dinâmica administrativa, procurando se organizar conforme os objetivos que lhe foram determinados pela referida Lei.

 

Em 25 de julho de 1974, por força do Decreto nº. 16.358, a Escola foi constituída como “Escola Estadual Sandoval Soares de Azevedo de 1° Grau”, com a integração da Escola Estadual D. Silvério Gomes Pimenta.

 

A Secretaria de Estado da Educação, empenhada em dar à obra de Helena Antipoff melhor continuidade na execução de seus problemas com vistas à educação do homem rural e à comunidade, resolve transformar a FEER em “Fundação Helena Antipoff”, com a incorporação da Escola Estadual Sandoval Soares de Azevedo ao ISER, de acordo com a Lei 7.303, de 21 de julho de 1978.

 

Conforme pode ser constatado pelo histórico acima, a Escola Sandoval Soares de Azevedo ao ser incorporada à Fundação Helena Antipoff tornou-se uma unidade desta Fundação, conforme descreve o Decreto Estadual nº. 13.568, de 16/04/1971.