A- A A+
FacebookInstagram

Nos dias 26 e 27 de março aconteceu na Fundação Helena Antipoff a primeira capacitação em Lousa digital. Quase 100 educadores, da Escola Sandoval Soares de Azevedo e UEMG – Unidade Ibirité, participaram da oficina e tiveram a oportunidade de conhecer e entender como funciona essa nova ferramenta que está disponível a partir deste semestre para a Educação Básica e Ensino Superior.


Com tecnologia de ponta, a lousa digital permite unir os vários elementos antes utilizados em sala de aula (quadro branco, tv, tela de projeção) em um único espaço, permitindo ao professor apresentar conteúdos de maneira mais interativa e visualmente interessante provocando o aluno para uma participação mais ativa dentro de sala de aula.


Segundo o Diretor de Planejamento Gestão e Finanças da FHA, Carlyle dos Passos Laia, a aquisição das lousas e o investimento realizado em infraestrutura de rede podem ser considerados um marco para a instituição. “Trazer esse tipo de recurso para dentro de uma instituição pública é um dos passos rumo à oferta de um ensino alinhado com os avanços da sociedade”.


Para o Professor Roneirobson Santos Suassuna, que ministra aulas para no Ensino Fundamental, a iniciativa da FHA em modernizar a interação professor-aluno através da aquisição das lousas e do treinamento dos docentes no seu uso pedagógico é muito positiva: “A utilização dessa ferramenta reforça os traços cognitivos e afetivos dos alunos que respondem melhor ao ambiente de aprendizagem que se relaciona às suas práticas diárias, afinal a maioria deles possui, pelo menos, um smartphone”.


Romilda Alves, Diretora da Unidade UEMG / Ibirité, afirma que a aquisição das lousas se configura em uma ótima oportunidade dos professores ousarem em uma metodologia de ensino diferenciada e complementa: “Ofertamos os cursos de licenciatura em nossa instituição e queremos ser, também, multiplicadores das novas possibilidades que podem ser alcançadas através desse recurso digital”.

 

001   002   003